A síndrome genito-urinária e o tratamento a LASER em ginecologia

A medicina está sempre avançando em diagósticos e tratamentos, portanto, quando uma nova tecnologia se torna efetiva, como o tratamento a LASER em Ginecologia, temos que comemorar e divulgar para que mais pessoas possam se informar e se beneficiar.

Exemplo do uso do tratamento a LASER em ginecologia

A Síndrome Genito-Urinária da Menopausa é o nome dado ao conjunto de sinais e sintomas da vulva, vagina e trato urinário decorrentes das alterações hormonais comuns na pós menopausa e que, quando não tratados, podem progredir e afetar de forma negativa a qualidade de vida e a função sexual das mulheres.

Dentre as alternativas terapêuticas para esses sintomas destaca-se a terapia com tratamento a LASER em ginecologia (Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation), que tem mostrado relevância crescente como tratamento não hormonal nestas situações. Ele é normalmente bem tolerado e pode aliviar os sintomas mais comuns desta síndrome.

Estima-se que os sintomas relacionados com a menopausa e englobados pela síndrome genito-urinária afetem cerca de 47% das mulheres pós-menopáusicas, na maior parte dos casos de forma crônica e progressiva, impactando consideravelmente a qualidade de vida destas mulheres.

Clinicamente as alterações da menopausa no trato genital da mulher podem se traduzir em episódios de dispareunia (dor na relação sexual), trauma e irritação das áreas afetadas.

Associadamente, as alterações do microbioma e pH vaginal predispõem também a infeções vulvo-vaginais e seus sintomas, com necessidade de tratamento recorrente.

Os benefícios para tratamento da síndrome genito-urinária

Recentemente, os procedimentos à base de tecnologia LASER também estão sendo introduzidos e estudados como opção terapêutica não-hormonal da síndrome genito-urinária da menopausa.

Estes métodos funcionam por ablação do epitélio vaginal, estimulando os mecanismos fisiológicos do próprio corpo a regenerar os tecidos. Dentre as alternativas à disposição da prática clínica surgem em destaque os procedimentos intravaginais à base de tecnologia LASER, como o LASER de CO2 fraccionado (LCO2F).

Leia  Dormir mal pode atrapalhar a perda de peso

O tratamento a LASER apresenta como resultado comum a remodelação do colágeno dos tecidos, o que leva à sua reestruturação e reparação.

O efeito benéfico do LASER é determinado por um processo de regeneração do tecido de granulação seguido de remodelação dos tecidos com neocolagénese continuada ao longo das 6 a 12 semanas seguintes da sua aplicação.

Verifica-se também um aumento da atividade dos lactobacilos com consequente acidificação do pH local e reposição dos níveis de pH pré menopáusicos, contribuindo para a proteção genital contra infecções locais.

Este novo tipo de opção de tratamento a LASER em Ginecologia apresenta, já de forma comprovada, vários efeitos positivos, tais como: eficácia praticamente imediata com melhoria evidente da sintomatologia (como a dor nas relações sexuais e a secura vaginal), melhoria da função sexual e da qualidade de vida.

Para além disso, as reduzidas complicações registadas (tanto imediatas como as de médio e longo prazo) e a ausência de efeitos sistêmicos (verificada nas opções terapêuticas hormonais) tornam esta terapêutica uma alternativa viável em casos refratários ou que não possam cumprir outros tipos de tratamento convencional.

Todos estes resultados são refletidos pelo impacto positivo que geram na função sexual das pacientes em toda a sua dimensão biopsicossocial.

De acordo com a evidência científica disponível, o uso de terapias com LASER na síndrome genito-urinária da menopausa apresenta-se como uma alternativa terapêutica viável, em especial nos casos de sintomatologia leve a moderada, refratária a quaisquer outras opções de tratamento ou de difícil alívio com outras medidas habitualmente utilizadas, tais como a alteração de estilo de vida, uso de hidratantes e lubrificantes vaginais, além das terapias tópicas.

Uma das indicações de uso do tratamento a LASER em Ginecologia e Obstetrícia é na perda do tonus vaginal no pós parto, que pode levar a uma disfunção sexual. Com sua utilização obtêm-se uma melhora da flacidez e frouxidão da vagina com impacto positivo na função sexual.

Leia  4 Orientações para a Alimentação na Saúde da Mulher

Um outro uso após o parto é no tratamento da incontinência urinária leve que pode ocorrer com certa frequência depois da gravidez.

O tratamento a LASER em Ginecologia é, no entanto, um procedimento ainda caro, apesar da relação custo x eficácia ser positiva, portanto ainda é pouco acessível para grande parte da população em geral.

Como efeitos positivos dos tratamentos a LASER em Ginecologia quando aplicados na síndrome genito-urinária da menopausa, comprovados e verificáveis de forma imediata e a curto prazo, evidenciam-se a importante redução da dispareunia (dor na relação sexual), da sintomatologia relacionada com a incontinência urinária (perda de urina), o aumento da lubrificação vaginal e o impacto positivo que todos estes efeitos geram na função sexual e na qualidade de vida das mulheres em toda a sua globalidade.

Informe-se sobre essa importante e nova opção terapêutica já disponível aqui na nossa Clínica, entranto em contato conosco.

Se gostou, compartilhe!
Exclusivo para agendar consultas!